13/10
2019

Musical Fim de Ano

Orquestra e Convidados

Foto: Arquivo PMC | Especial Musical Fim de Ano
Este evento já aconteceu!

A Prefeitura de Campinas, a Orquestra Sinfônica e a Sanasa, em parceria com a EPTV Campinas apresentam o “Especial Musical Fim de Ano”, que  acontece no dia 13 de outubro, domingo, às 18h, na Praça Arautos da Paz, no Taquaral.

Com um rico repertório musical, sob regência do maestro Victor Hugo Toro, a Sinfônica recebe os cantores Mato Grosso e Mathias, Maria Cecília e Rodolfo, Sérgio Reis e Falamansa, que cantarão neste evento especial. Os arranjos das músicas foram elaborados especialmente para este concerto  comemorativo.

O musical, que acontece pelo segundo ano consecutivo, será uma gravação de fim de ano da EPTV, com exibição prevista para dezembro na grade da emissora. O evento integra a programação de comemoração dos 40 anos da EPTV e dos 90 anos da Orquestra Sinfôica Municipal de Campinas.

Repertório dos artistas convidados

No repertório, Matogrosso e Matias, cantam “Tentei te esquecer”, “24 horas de amor”, “Na hora do Adeus” e “Mariposa – Fm”.  Maria Cecilia e Rodolfo interpretam  “Você de volta”, “Coisas esotéricas”, “Os dias vão” e “Dói só de Pensar”. Sérgio Reis relembra os sucessos “Filho Adotivo”, “Menino da Porteira” e “Tocando em frente”. O grupo Falamansa canta “Xote dos Milagres”, “Xote da Alegria” e “Rindo à toa” e, para encerrar, a música final  com todos os artistas: “Amor pra recomeçar”.

Victor Hugo Toro 

Nascido em Santiago do Chile, realizou estudos de regência orquestral e graduou-se pela Faculdade de Artes da Universidade do Chile. Foi vencedor do II Concurso Internacional de Regência Orquestral – Prêmio Osesp. Junto ao seu importante trabalho com orquestras jovens de seu país, Victor Hugo Toro é também compositor. Suas obras têm sido interpretadas por diversos grupos sinfônicos e de câmara. Recentemente, foi laureado pela Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino com a Ordem do Mérito Cultural “Carlos Gomes” no grau de comendador. Também recebeu da Câmara Municipal de Campinas a medalha “Carlos Gomes”, pelos relevantes serviços prestados à cidade. Atualmente, é diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas.

Matogrosso e Mathias

Matogrosso e Mathias

Matogrosso & Mathias formam uma dupla sertaneja do Brasil  originária da década de 1970. A dupla iniciou sua trajetória originalmente com João Batista Bernardo, o Matogrosso , o apelido se deve porque o mesmo viveu em Cárceres – Mato Grosso por muitos anos e Anísio Roberto de Carvalho, o Mathias . Com o tempo Isaac Júnior, sobrinho de Matogrosso compôs a dupla no lugar de Anísio, como Mathias e atualmente quem entrou no lugar de Isaac é o músico Rafael Belchior, afilhado de Anísio.

Matogrosso & Mathias tem a alcunha de “a dupla mais romântica do Brasil”. A dupla é reconhecida por difundir a música sertaneja  em uma época que os “caipiras” ainda estavam à margem da imprensa no Brasil, abrindo caminho para vários artistas do mesmo gênero de muito sucesso hoje.

Maria Cecília e Rodolfo

Maria Cecília e Rodolfo

Eles formam o único casal do sertanejo. De Campo Grande (MS),  tornaram-se grandes estrelas da música e conheceram o gosto do sucesso ainda muito novos e com pouco tempo de carreira. O novo balanço e as letras diretas e atuais tornaram Maria Cecília e Rodolfo um dos precursores do movimento chamado ‘sertanejo universitário’ – que definitivamente transformou o mercado. Foram hits atrás de hits e uma legião de fãs por todo o Brasil.
Ainda estudantes de zootecnia, se conheceram na faculdade e foi durante os intervalos  que deram início à formação profissional. Bastou um violão e alguns clássicos do sertanejo para chamarem a atenção dos colegas. De churrascos a festas, Maria Cecília e Rodolfo viram tudo se transformar em uma fração de segundo. O primeiro registro aconteceu em Campo Grande e, no set list, ‘Você de Volta’, o primeiro sucesso. Ainda neste álbum, as consagradas ‘A Fila Andou’, ‘Mato e Morro Por Você’ e ‘Coisas Esotéricas’.

Sérgio Reis

Sérgio Reis 

Com 16 anos passou a cantar em programas de rádio e casas noturnas, interpretando músicas do repertório de Lucho Gatica, Trio Los Panchos, Cauby Peixoto, Pepino di Capri e Sérgio Endrigo. Na década de 1960 fez parte do movimento da Jovem Guarda em um programa televisivo da TV Record, a Jovem Guarda inovou a linguagem musical e comportamental no Brasil. A maioria de suas letras reuniam temáticas amorosas, adolescentes e açucaradas das quais, versões de hits do rock britânico e norteamericanos da época. Lançou músicas de sucesso como Coração de Papel, de sua autoria, em um álbum de mesmo nome.

No decorrer de um baile de debutantes em Tupiciguara, no Triângulo Mineiro, que Sérgio Reis percebeu que a carreira dele carecia de mudanças. Contudo, sua tendência caipira e sertaneja raiz se evidenciaria a partir da década de 1970 quando em 1972 gravou seu primeiro disco de música sertaneja com Menino da Gaita. Seu segundo disco O melhor de Sérgio Reis em 1981, vendeu um milhão de cópias.

Falamansa

Divulgação | Falamansa

Falamansa

O grupo tem mais de 4 milhões de discos vendidos, 11 álbuns, 3 DVDs e 1 Grammy latino na bagagem, além de muitas outras premiações ao longo da carreira. Tudo isso sem nenhum desvio de rota na sua proposta rítmica inicial, mantendo viva e presente a cultura brasileira do forró em seus trabalhos e sem nenhuma necessidade de apelação nas suas letras, fincando a cada obra, mensagens de alegria, fé, motivação, amor, superação, amizade, consciência social e ambiental, como estandartes de cada projeto.
E é com essa mesma linha de pensamento que a banda lança esse ano o CD e DVD “Falamansa 20 anos”, recheado de grandes sucessos que pontuaram a carreira da banda desde 1998.

Os horários, preços e atrações podem ser alterados pelos organizadores sem prévio aviso.

Informar um problema nesta página

Há alguma informação incorreta ou incompleta nesta página?
Por favor, nos informe abaixo e faremos a correção o mais breve possível.

Página: Musical Fim de Ano