Prefeito de Campinas apresenta demandas do comércio em transmissão nas redes sociais

07/08/2020
Prefeito de Campinas
Foto: Carlos Bassan | Prefeitura de Campinas

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, apresentou as demandas do comércio de rua e outros setores produtivos nesta quinta-feira (6), durante transmissão nas redes sociais. As solicitações são para quando Campinas avançar para a fase amarela do Plano São Paulo.

A decisão de mudança de fase ainda depende de nova classificação do Plano, que será anunciada pelo governo do Estado de São Paulo nesta sexta-feira (7).

Quando Campinas passar para a nova fase, o comércio terá o horário ampliado de quatro horas para seis horas, além da capacidade de atendimento de 20% para 40%. A fase amarela também agrega os bares, restaurantes e similares, como padarias e pizzarias, e salões de beleza e academias. Eles poderão abrir gradativamente para o atendimento presencial.

Na ocasião, o prefeito enfatizou o rigor técnico dos protocolos de reabertura segura das atividades se confirmado o avanço da cidade para a fase amarela do Plano São Paulo. Jonas Donizette também voltou a pedir aos comerciantes que façam a Declaração de Estabelecimento Responsável, com recomendações do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), da Secretaria Municipal de Saúde.

O objetivo é que os estabelecimentos, quando puderem reabrir as portas, tenham o certificado impresso. No documento, assumem o compromisso de seguir as regras de saúde para evitar a disseminação do coronavírus. “Vai dar segurança para você (comerciante) e para seus clientes. Esse certificado é importante por dois motivos: para você mostrar a sua consciência e para seus clientes se sentirem mais seguros”, ressaltou o prefeito.

A declaração está disponível no portal da Prefeitura de Campinas: acesse aqui.

Expectativas

Durante a transmissão ao vivo, a secretária de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo, Alexandra Caprioli, disse ao prefeito sobre a expectativa dos comerciantes para o possível avanço de classificação no Plano São Paulo.

Além disso, Alexandra Caprioli explicou que na fase amarela o comércio de rua passa a funcionar de 4 horas para 6 horas. Dessa forma, o funcionamento deve acontecer das 10h às 16h, de segunda a sexta-feira, e das 9h às 15h aos finais de semana. No caso dos shoppings, a determinação é que o horário seja ampliado também para 6 horas.

No entanto, de acordo com Alexandra, os shoppings querem um “descasamento de horários”. “Porque há shoppings que atuam em segmentos distintos e querem fazer horários diferentes”, explicou. Ela entregou as propostas para avaliação do Comitê Municipal de Enfrentamento da Pandemia de Infecção Humana pelo novo Coronavírus (Covid-19).

A secretária explicou que, na fase amarela, os bares, restaurantes e similares, que hoje podem atender em sistema drive-thru e delivery, poderão abrir seis horas diárias com atendimento presencial, seguindo os protocolos do setor.

Ela mencionou que também está em contato com os sindicatos e associação dos salões de beleza, barbearias, clínicas de estéticas e manicure (esmalteria). Na fase amarela, eles poderão retomar a atividade. O mesmo vale para academias de esportes. “Isso dará um respiro na atividade econômica”, acrescentou Caprioli.

Todas essas categorias terão que seguir protocolo que traz as medidas sanitárias para evitar a contaminação do novo coronavírus. “Toda essa abertura vem acompanhada de uma responsabilidade enorme de todos os estabelecimentos que deverão fazer isso de forma ordenada e seguindo as normas do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), da Secretaria Municipal de Saúde”, concluiu a secretária.

ir para o topo

Enviar